Um local de trabalho compartilhado favorece a troca de informações e a inovação, e estes benefícios devem levar muitas empresas a abandonar o home office, prevê consultoria britânica.

Por BBC

A semana de trabalho de cinco dias presenciais pode se tornar a regra novamente dentro de dois anos, segundo o centro de estudos britânico Center for Cities.

No Reino Unido, a expectativa para o pós-pandemia é uma mistura de home office e períodos de trabalho no escritório, enquanto o país não se recupera totalmente dos efeitos da covid. Mas alguns analistas preveem uma volta aos padrões de trabalho anteriores à pandemia.

Atualmente, as pessoas que podem trabalhar em casa ainda são aconselhadas a fazê-lo. No entanto, é provável que esse cenário mude se o governo do Reino Unido acabar com todas as restrições de distanciamento social em 21 de junho.

"Espero que tenhamos três ou quatro dias por semana no escritório enquanto o Reino Unido se recupera", disse Paul Swinney, diretor de políticas e pesquisas do Center for Cities, ao programa Wake Up to Money, da BBC Radio 5 Live.

"A longo prazo, estou bastante esperançoso de que veremos as pessoas voltando a trabalhar cinco dias por semana. A razão para isso é que um dos benefícios de estar no escritório é a interação com outras pessoas, ter novas ideias e compartilhar informações", afirmou.

Os números mostram um aumento gradual na ocupação de escritórios nas principais cidades do Reino Unido, incluindo Manchester — Foto: Getty Images

Dados do Instituto Nacional de Estatística Britânico, publicados em maio, revelaram que a maioria dos britânicos não trabalhava de casa antes de 2020.

A proporção de pessoas que fazem home office mais do que dobrou durante a pandemia. O movimento atingiu o mercado imobiliário de escritórios, ao mesmo tempo que gerou muita discussão sobre o futuro do local de trabalho.

A demanda por mais escritórios no centro de cidades britânicas agora parece estar aumentando.

Números da agência imobiliária Savills mostram que a ocupação por metragem quadrada nas seis maiores cidades do Reino Unido aumentou significativamente desde o segundo trimestre de 2020.

A agência disse que também registrou "aluguéis recordes" para alguns escritórios de primeira linha na Grande Londres e em outras áreas urbanas do país.

Os setores que assinaram alguns dos maiores acordos com escritórios regionais foram os serviços públicos, como de educação e saúde.

Imobiliárias que alugam imóveis enfrentam dificuldades durante a pandemia. Na segunda-feira, a firma de escritórios compartilhados IWG alertou sobre uma queda acentuada nos lucros.

No entanto, a empresa disse estar vendo uma "demanda sem precedentes" por seus serviços flexíveis de escritório, já que muitas outras empresas adotaram o modelo de trabalho híbrido.

'A maioria das empresas quer cinco dias no escritório'

Jessica Bowles, diretora de estratégia da incorporadora de imóveis comerciais Bruntwood, que opera em Manchester, Birmingham, Leeds e Liverpool, disse à BBC que sua empresa também sentiu uma alta da demanda por escritórios flexíveis e com serviços de locações curtas.

"Tivemos uma aceitação muito forte. As pessoas querem termos flexíveis. O que é interessante é que são as corporações que querem fazer isso, bem como as pequenas empresas."

Mas o trabalho híbrido não significa que os aluguéis flexíveis sejam mais baratos, pois "a flexibilidade tem seu preço". A maioria das empresas também deseja manter um escritório de cinco dias, disse ela.

"A maioria deseja manter um escritório e diz não poder abrir mão do espaço por um determinado número de dias por semana. Eles apenas querem usar o escritório de maneira diferente. Isso significa mais espaço colaborativo, menos bancadas de mesas, lugares onde as pessoas podem se reunir, criar e inovar."

Ela acrescentou que, embora o trabalho híbrido estivesse crescendo em popularidade antes da covid-19, o padrão de trabalho poderia ser "desafiador" para as empresas se alguns funcionários estivessem em casa e outros, no escritório.

"Acho que, tanto no nível pessoal como empresarial, veremos mais pessoas valorizando o encontro presencial. Mas às sextas-feiras são sempre muito tranquilas no escritório, e não espero que isso mude."

Já as empresas que dependem do trabalho presencial têm esperança de que sua sorte irá melhorar em breve.

Em Birmingham, os proprietários do café Morridge, os irmãos James e Naomi Morris, estão ansiosos pela chegada de mais trabalhadores ao centro da cidade. Eles abriram o negócio em 2019 de olho nas pessoas que trabalham por ali.

James disse à BBC que começou a ver mais clientes entrando no café novamente.

"Nas últimas semanas, os funcionários dos escritórios têm voltado lentamente. As pessoas estão começando a trabalhar no café. Uma senhora veio tomar o café da manhã outro dia e atendeu alguns telefonemas de trabalho. Quartas e quintas-feiras são nossos dias mais movimentados", diz.

Ele espera que mais trabalhadores retornem ao Centro da cidade no final do mês, caso as restrições impostas pelo governo acabem em 21 de junho. "cho que tudo vai voltar."

Mas a perspectiva de um retorno em massa aos escritórios, mesmo de forma híbrida, não será necessariamente bem-vinda por todos os funcionários.

Uma equipe da Apple teria lançado uma campanha contra os planos do presidente da empresa, Tim Cook, de que os funcionários fossem ao escritório pelo menos três dias por semana até setembro.

Fonte: G1

https://g1.globo.com/economia/concursos-e-emprego/noticia/2021/06/16/trabalho-no-escritorio-5-dias-por-semana-vai-voltar-a-ser-a-norma-em-2-anos.ghtml