Durante evento no Rio, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, afirmou que o FGTS não pode ser usado como um “complemento de renda” e disse que as novas regras de saque implantadas pelo governo são um estímulo ao gasto do fundo

(Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados)

247 - O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, criticou as mudanças nas regras de saque do FGTS do governo Bolsonaro. Durante evento no Rio de Janeiro, Maia disse que o FGTS não pode ser usado como "um complemento de renda" e que há um estimulo ao gasto do fundo.

"Estamos com uma preocupação para que não se use do dinheiro do FGTS do trabalhador tão rápido, não se estimule o gasto. Aquilo é uma poupança, não pode ser tratado como um complemento de renda", afirmou Maia, dizendo ainda que o Estado "roubou" o trabalhador ao aplicar rendimentos abaixo da inflação durante 2006 a 2016.


Com informaões da Época.

Brasil 247