Dirigentes de diversas entidades e categorias profissionais foram recebidos ontem (21), em Brasília, pelo ministro João Batista Brito Pereira, futuro presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST). Dia 26, ele toma posse em substituição a Ives Gandra Martins Filho, atual presidente, de linha conservadora e alinhado ao mercado.

A expectativa do movimento sindical é de que o TST adote uma postura mais progressista. Miguel Torres, presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos (CNTM), avalia o encontro como positivo. “Sinto que haverá mais diálogo com o sindicalismo e debate em torno das matérias de interesse de empregados e empregadores”, afirma.

Dia 6, Gandra Martins tentou regulamentar e adaptar à nova lei trabalhista - de corte neoliberal - 35 Súmulas ou orientações jurisprudenciais. Mas o conjunto de ministros (27 no total), a pedido do sindicalismo, entendeu não votar em razão de dúvidas sobre a constitucionalidade de matérias em exame. Formou-se uma comissão para análise técnica dos temas.

                     

Sindicalistas reunidos com o futuro presidente do TST, ministro João Batista Brito Pereira

                     

Fonte: Agência Sindical, 22 de fevereiro de 2018