De acordo com o IBGE, aumentou o número de trabalhadores em empresas menores e diminuiu o total nos empreendimentos de grande porte.

De 2015 para 2016, o número daqueles que trabalham em empreendimentos de pequeno porte (com até cinco pessoas) aumentou de 48,1% para 50,1% do total, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, do IBGE. Já o total ocupado nos de grande porte (com mais de 50)  caiu de 29% para 26%.

O instituto considera um universo de 73,7 milhões de empregadores, trabalhadores por conta própria e empregados, com exceção dos setores público e doméstico. Esse número também foi menor em comparação com 2015, quando o país tinha 75 milhões de ocupados no setor privado. Em 2012, eram 72,4 milhões.

Os dados divulgados mostram ainda que a taxa de sindicalização no Brasil registrou, no ano passado, seu menor nível desde o início da série, em 2012. Nesse intervalo, o total de associados a algum sindicato foi de 13,6% para 12,1%, o equivalente a 16,9 milhões de pessoas, 1 milhão a menos em comparação com quatro anos antes.

Entre os homens, os sindicalizados representavam 13,1% do total, ante 15,3% em 2012. No caso das mulheres, em igual período, a taxa foi de 11,9% para 11,2% Houve redução em todas as regiões. No ano passado, a sindicalização era maior no Nordeste (14,7%) e no Sul (14,2%). Foi de 10,7% no Sudeste, 10,6% na região Norte e 9,4% no Centro-Oeste.

Dos trabalhadores por conta própria, 18,9% eram registrados no CNPJ, ante 14,9% em 2012. Entre os empregadores, a participação aumentou de 75,6% para 82%. 

                   

Fonte: Rede Brasil Atual, 20 de outubro de 2017