Foram fechados 392 postos de trabalho, segundo sindicato do setor

Maria Cristina Frias

O emprego na construção pesada em São Paulo teve a segunda maior queda do ano em julho, segundo o Sinicesp (sindicato do setor). Ao todo, foram fechados 392 postos de trabalho.

A estimativa era que houvesse crescimento devido a obras previstas para a rodovia Raposo Tavares, mas os trabalhos foram postergados, afirma Carlos Prado, gerente técnico da entidade.

“O atraso em julho deverá ter um efeito positivo em agosto”, diz ele.

Há superávit de 549 vagas no acumulado dos sete primeiros meses deste ano.

“A tendência é 2018 terminar em baixa devido ao fim dos contratos e à possível transição de governo após as eleições”, afirma Prado.

As áreas ligadas a rodovias e ferrovias foram as que tiveram maior déficit neste ano, enquanto empregos ligados a projetos de saneamento básico, água e esgoto registraram a maior alta.

Leia a coluna completa aqui.

Mercado Aberto

Maria Cristina Frias, jornalista, edita a coluna Mercado Aberto, sobre macroeconomia, negócios e vida empresarial.

Fonte: Folha de S.Paulo, 3 de setembro de 2018.