Levantamento inédito aponta também que proporção de mulheres em cargos de liderança passou de 35,7%, em 2013, para 39,1%, em 2023

Fernanda Strickland

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) lançou, nesta terça-feira (5/3), o estudo inédito "Mulheres no Mercado de Trabalho", que mostra que, nos últimos 10 anos, no Brasil, as mulheres alcançaram, progressivamente, salários mais próximos aos dos homens.

O levantamento do Observatório Nacional da Indústria da CNI, feito a partir dos microdados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), aponta que na última década houve um aumento da paridade salarial em 6,7 pontos — saindo de 72,0 (2013) para 78,7 (2023). O estudo mensurou a paridade de gênero em uma escala padronizada de 0 a 100, de modo que quanto mais próximo de 100, maior a equidade entre mulheres e homens.

Passos lentos

Quando se analisa o indicador liderança, é possível notar que as mulheres ganharam espaço em funções de tomadas de decisões. A participação delas em cargos de liderança passou de 35,7%, em 2013, para 39,1%, em 2023 — aumento de cerca de 9,5%.

“As diferenças entre gêneros têm reduzido ao longo da última década, mesmo que a passos lentos. Nos últimos anos, houve uma aceleração do crescimento da paridade salarial entre mulheres e homens. Mas precisamos continuar avançando e rápido. É urgente ampliar o debate e implementar medidas concretas para chegarmos a um cenário de equidade plena no mercado de trabalho brasileiro”, afirma o presidente da CNI, Ricardo Alban.

CORREIO BRAZILIENSE

https://www.correiobraziliense.com.br/economia/2024/03/6813130-paridade-salarial-aumentou-nos-ultimos-10-anos-mostra-pesquisa-da-cni.html