APOIO TUCANO

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) se manifestou nesta quinta-feira (22), na sua conta no Twitter, pedindo votos “pró-democracia” nestas eleições. “Peço aos eleitores que votem no dia 2 de outubro em quem tem compromisso com o combate à pobreza e à desigualdade, defende direitos iguais para todos independentemente da raça, gênero e orientação sexual”, disse o tucano em um trecho da nota.

Apesar de não defender abertamente um candidato à Presidência da República, diversas lideranças do PT interpretaram a nota como um apoio implícito ao ex-presidente Lula. “De quem parece que ele está falando? É só ler a nota. Ele cita tudo que Lula defende, essa é a minha leitura”, afirmou ao UOL o deputado Márcio Macedo (PT-SE), tesoureiro da campanha petista.

“Para bom entendedor, meia palavra basta (…) Achei muito positivo ele [FHC] estar se manifestando e por valores que são civilizatórios. No meu ponto de vista, a leitura daquilo ajuda muito no debate político”, afirmou também ao UOL o ex-ministro Aloízio Mercadante (PT), coordenador do plano de governo de Lula.

Em maio deste ano, perguntado pelo Congresso em Foco sobre qual candidato à Presidência iria apoiar, FHC afirmou que não havia nada definido já que seu candidato era o ex-governador João Doria, que tinha renunciado sua pré-candidatura. O Congresso em Foco também procurou o senador José Serra, outra importante liderança do PSDB, que afirmou que defendia uma candidatura própria do PSDB e que achava prematuro falar, na ocasião, em um apoio a Lula. Nenhum dos dois, no entanto, negaram, como outros tempos, que poderiam apoiar um candidato do PT.

O ex-ministro Aloysio Nunes, outra liderança do PSDB, chegou a declarar ao Estado de S. Paulo, também em maio, que ia pedir votos para Lula já no primeiro turno. “O segundo turno já começou e eu não só voto no Lula como vou fazer campanha para ele no primeiro turno”, disse Aloysio. “Não existe essa terceira via; só existem duas: a da democracia e do fascismo. Se quisermos salvar o Brasil da tragédia de Bolsonaro, teremos de discutir o que vamos fazer juntos”, completou.

Depois da nota de FHC, o PSDB, que está apoiando a candidatura da senadora Simone Tebet (MDB-MS), lançou uma nota afirmando que vai defender esse projeto “até o final”. “O PSDB tem candidata e vai lutar até o final para elegê-la: Simone Tebet, e a nossa senadora Mara Gabrilli. Representam o melhor caminho para o Brasil. Primeiro turno é para votar no melhor. Útil é votar em quem a gente confia”.

Confira a nota de FHC na íntegra:

“Nota pública | Voto Pró-Democracia nas Eleições:

Como é do conhecimento público, tenho idade avançada e, embora não apresente nenhum problema grave de saúde, já não tenho mais energia para participar ativamente do debate político pré-eleitoral.

Peço aos eleitores que votem no dia 2 de outubro em quem tem compromisso com o combate à pobreza e à desigualdade, defende direitos iguais para todos independentemente da raça, gênero e orientação sexual, se orgulha da diversidade cultural da nação brasileira, valoriza a educação e a ciência e está empenhado na preservação de nosso patrimônio ambiental, no fortalecimento das instituições que asseguram nossas liberdades e no restabelecimento do papel histórico do Brasil no cenário internacional.”

AUTORIA

Tércio Amaral

TÉRCIO AMARAL Tércio Amaral. Editor. É jornalista formado pela Unicap, com mestrado e doutorado em História (UFPE). Atuou no Diários Associados como repórter e editor de política. Foi coordenador de comunicação no Ministério da Educação e tem passagem por assessoria de comunicação do Congresso Federal.

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

CONGRESSO EM FOCO

https://congressoemfoco.uol.com.br/area/pais/fhc-pede-voto-pro-democracia-petistas-comemoram/