Na petição, deputado federal Elias Vaz (PSB-GO) solicita investigação de indícios do uso do cartão corporativo em propaganda eleitoral pelo presidente. Somente em 35 dias, despesas somaram R$ 4,2 milhões.

por Mariana Mainenti

Vice-presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o ministro Alexandre de Moraes encaminhou ao Ministério Público Eleitoral uma ação do deputado federal Elias Vaz (PSB-GO), na qual o parlamentar solicita investigação de indícios do uso do cartão corporativo em propaganda eleitoral antecipada por Bolsonaro.

De acordo com Vaz, chama a atenção o aumento no montante dos gastos pelo presidente que, somente em 35 dias (de 1/4 a 5/5), realizou despesas no valor de R$ 4,2 milhões, valor próximo ao total utilizado nos três primeiros meses do ano: R$ 4,6 milhões.

“Há indícios graves de que o Bolsonaro esteja utilizando o cartão corporativo para custear campanha fora da época autorizada por lei. É um desrespeito utilizar dinheiro público com essa finalidade”, argumentou o deputado federal, que apresentou como evidências na ação duas motociatas realizadas em abril e que contaram com a participação do presidente.

As despesas com o cartão corporativo são crescentes. Começaram com gastos mensais de 736,6 mil no primeiro ano; passou para R$ 862,1 mil, em 2020; em 2021, o cartão ficou ainda mais caro – R$ 1,1 milhão por mês. Segundo o Tribunal de Contas da União, Bolsonaro gastou ao menos 21 milhões de reais entre janeiro de 2019 e março de 2021.

Com informações do Portal Metrópoles

VERMELHO

https://vermelho.org.br/2022/06/22/alexandre-de-moraes-encaminha-ao-ministerio-publico-eleitoral-acao-contra-bolsonaro/