CONCILIAR PARA RECOMEÇAR

A 6ª edição da Semana Nacional da Conciliação Trabalhista homologou mais de 21 mil acordos e movimentou cerca de R$764 milhões, segundo dados do Tribunal Superior do Trabalho.  

Evento teve como objetivo estimular a conciliação em processos trabalhistas 

O evento, promovido em todo o país entre os dias 23 e 27 de maio, teve como objetivo estimular a conciliação em processos trabalhistas. O tema de 2022 foi "Conciliar para Recomeçar".

Durante os cinco dias, 219.566 pessoas foram atendidas e 65.035 audiências foram realizadas. De acordo com o TST, 21.167 acordos foram homologados, envolvendo um montante de R$ 764.692.451,39.

O número de conciliações superou em 43,56% a média semanal alcançada pela Justiça do Trabalho nos primeiros quatro meses do ano.

De janeiro a abril de 2022, foram homologados 235.909 acordos, o que equivale a 14,7 mil por semana. Já o total de audiências realizadas em cinco dias de evento superou em 64,57% o total de audiências de conciliação realizadas no mesmo período (100.717 audiências de janeiro a abril).

"Os expressivos resultados foram alcançados graças a uma construção coletiva, que vai desde as partes e os advogados que se dispuseram a resolver o conflito até magistrados, servidores e prestadores que se dedicaram para que fosse alcançada a efetividade em muitos processos", avaliou a vice-presidente do TST e do Conselho Superior do Trabalho (CSJT), ministra Dora Maria da Costa.

Dos mais de R$ 764,6 milhões movimentados, R$ 684.140.497,48 representam o montante de acordos homologados. Já R$ 41.088.949,08 se referem à arrecadação previdenciária para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), enquanto R$ 39.463.004,83 estão ligados aos recolhimentos fiscais relacionados ao Imposto de Renda. 

O evento também lançou uma cartilha para orientar a sociedade sobre como funciona e quais são os benefícios da solução consensual de conflitos judiciais.

As versões impressas do documento serão disponibilizadas nos Centros Judiciários de Métodos Consensuais de Solução de Disputas (Cejusc-JT) e nas Varas do Trabalho, além de locais de grande circulação. Já a versão digital pode ser consultada clicando aquiCom informações da assessoria de imprensa do TST.