Cenário de intenções de voto se mantém sem novidade, desde abril. Sobre privatização da Petrobras, a percepção entre os pesquisados é que aumentará ainda mais o preço dos combustíveis, caso seja concretizada

por Cezar Xavier

Pesquisa Ipespe contratada pela XP Investimentos divulgada hoje aponta o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) à frente na corrida presidencial, com 44% das intenções de voto na pesquisa estimulada —quando é apresentada a lista de nomes dos pré-candidatos. Ele mantém esse patamar desde setembro de 2021, sem variações.

O presidente Jair Bolsonaro (PL), que busca a reeleição, é o segundo, com 32%. Os percentuais foram os mesmos registrados na rodada anterior, divulgada na semana passada. Mesmo com a máquina de governo nas mãos, o presidente não consegue apresentar um motivo que atraia um eleitorado maior. A última novidade a seu favor foi a desistência de Sergio Moro (União Brasil), em abril, que transferiu parte de seus votos para Bolsonaro.

Como a movimentação de campanha ainda é invisível para a maioria da população, há chances para os adversários de Bolsonaro crescerem. Ontem (19), Lula garantiu um dos melhores palanques em Minas Gerais com Alexandre Kalil (PSD) disputando o governo ao seu lado. O PSD, de Gilberto Kassab, é um dos partidos centristas da base de Bolsonaro, o que torna o apoio a Lula um enorme revés. A confirmação de Geraldo Alckmin como vice de Lula também pode agregar intenção de voto nas próximas semanas.

Na condução do governo e usando todas as cartas que tem nas mangas, Bolsonaro não consegue crescer. Já aumentou o Auxílio Brasil, tentando ampliar sua base no Norte e Nordeste, onde Lula vence, e trocou a direção da Petrobras.

A última cartada foi anunciar a privatização da estatal do petróleo. Ele diz abertamente que está cansado de ser responsabilizado pela inflação da gasolina e do diesel. Esta pesquisa, no entanto, revela que 44% do eleitorado acredita que a privatização deve aumentar o preço dos combustíveis, enquanto 25% acha que a venda da empresa não fará diferença nos preços.

Terceira via

Assim como Lula e Bolsonaro, o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) também ficou estável, com 8% das intenções de voto. Embora tenha poucas chances na disputa, o cearense carrega parte da base eleitoral de Lula, garantindo que a disputa vá a segundo turno.

Por outro lado, Ciro prova que Bolsonaro perderia no segundo turno até para o terceiro colocado entre os adversários. Na Ipespe, como na nova pesquisa Exame/Ideia divulgada no fim da noite desta quinta-feira (19), que sugeriu cinco possíveis cenários de disputa de segundo turno, o ex-capitão seria derrotado pelo pedetista por 39% a 37%. Lula derrotaria todos nos cenários em que participa na rodada Exame/Ideia.

O ex-governador de São Paulo João Doria (PSDB) oscilou positivamente de 3% para 4%. O deputado federal André Janones (Avante) registrou os mesmos 2% do levantamento anterior, enquanto a senadora Simone Tebet (MDB) oscilou positivamente de 1% para 2%. Como a margem de erro é de 3,2 pontos percentuais para mais ou para menos, esses pré-candidatos estão tecnicamente empatados.

O cientista político Felipe d’Avila (Novo), a sindicalista Vera Lucia (PSTU), o ex-deputado José Maria Eymael (DC) ficaram com 0% —os três foram citados, mas, por arredondamento, não chegaram a 1%. O deputado federal Luciano Bivar (União Brasil) estava na lista de nomes, mas não foi citado por nenhum entrevistado.

D’Avila, Vera, Eymael e Bivar empatam tecnicamente com Tebet, Janones e Doria, mas não com Ciro. Brancos e nulos somam 6% e não sabem ou não responderam, 2%.

Na pesquisa espontânea, quando os entrevistados não recebem uma lista com os nomes dos pré-candidatos, o ex-governador João Doria oscilou positivamente de 1% para 2%, Lula se manteve com os 39% da rodada anterior, e Bolsonaro, com os mesmos 29%. Ciro continuou com 3%. Janones e Tebet ficaram estáveis com 1%, e D’Avila, com 0%. Eymael também ficou com 0%. Nenhum, branco e nulo somaram 9%, e não souberam ou não responderam, 16%.

Simulações de 2º turno A pesquisa fez a simulação de cinco cenários para o 2º turno. Lula vence Bolsonaro, Ciro e Doria; Bolsonaro empata, dentro da margem de erro, com Ciro e Doria. Veja os resultados a seguir:

Cenário 1 – Lula (PT): 53% Jair Bolsonaro (PL): 34% Não sabe/não respondeu/nenhum/branco/nulo: 13%.

Cenário 2 Lula (PT): 53% Ciro Gomes (PDT): 25% Não sabe/não respondeu/nenhum/branco/nulo: 22%

Cenário 3 Lula (PT): 54% João Doria (PSDB): 20% Não sabe/não respondeu/nenhum/branco/nulo: 26%

Cenário 4 Ciro Gomes (PDT): 44% Jair Bolsonaro (PL): 40% Não sabe/não respondeu/nenhum/branco/nulo: 16%

Cenário 5 Jair Bolsonaro (PL): 40% João Doria (PSDB): 38% Não sabe/não respondeu/nenhum/branco/nulo: 22%.

Para a pesquisa, o instituto entrou em contato por telefone com 1.000 entrevistados, de 16 anos ou mais, entre os dias 16 e 18 de maio. O nível de confiança é de 95,5%. A sondagem foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o número BR-08011/2022.

O Ipespe (Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas) é uma empresa de pesquisas fundada em 1986 e com sede no Recife. O instituto geralmente faz pesquisas eleitorais por telefone. Operadores ligam para eleitores selecionados conforme a distribuição de todo eleitorado brasileiro e os questionam sobre suas preferências eleitorais.

VERMELHO

https://vermelho.org.br/2022/05/20/ipespe-lula-lidera-com-44-e-bolsonaro-mantem-32/