"Perfil teocrático"

Segundo o grupo, o "perfil teocrático" do atual AGU é incompatível com a posição que almeja ocupar.

Nesta segunda-feira, 19, um grupo formado por juízes, advogados, policiais, defensores e promotores entregou uma carta ao Senado posicionando-se contra a indicação de André Mendonça ao cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal. Segundo as entidades, o "perfil teocrático" do atual AGU é incompatível com a posição que almeja ocupar.

Na carta, o grupo diz que o fator decisivo para que André Mendonça fosse indicado a uma vaga no STF não decorreu de sua atuação como advogado, membro da AGU ou jurista de escola, mas do fato de professar a fé como pastor de uma igreja presbiteriana.

De acordo com os signatários, subvertendo as regras constitucionais, o que se pretende é a criação de uma vertente evangélica na composição da Corte a fim de orientar decisões sobre os mais diversos temas e, muito especialmente, a pauta dos costumes.

"Em contrariedade à laicidade imperativa, além da proclamação pública do Presidente da República em selecionar o candidato com base em sua filiação religiosa em detrimento da formação jurídica e humanística, o próprio indicado, em numerosas ocasiões, reafirmou, em seu favor, seu perfil teocrático, incompatível com o cargo que almeja."

O grupo afirma, também, que as opiniões evangélicas de Mendonça poderão suscitar um retrocesso preocupante aos direitos civis e aos valores laicos inscritos na Constituição Federal.

"Não se trata de intolerância ou resistência religiosa à fé ou filiação espiritual de quem quer que seja, mas da defesa de um valor basilar e central no constitucionalismo ocidental: a separação entre religião e Estado."

Assim, pedem que o Senado rejeite a indicação do AGU ao STF.

Por: Redação do Migalhas

https://www.migalhas.com.br/quentes/348739/entidades-pedem-que-senado-rejeite-indicacao-de-andre-mendonca-ao-stf