O presidente Jair Bolsonaro assumiu nesta terça-feira (8) que errou ao afirmar no dia anterior que relatório do Tribunal de Contas da União (TCU) revelava que metade das mortes registradas por covid-19 foi por outras causas, não pelo vírus.

Nesta segunda-feira (7), a corte desmentiu o presidente e esclarece não haver "informações em relatórios do tribunal que apontem que 'em torno de 50% dos óbitos por Covid no ano passado não foram por Covid', conforme afirmação de Bolsonaro".

Novamente em conversa com apoiadores na saída do Palácio Alvorada, registrada por um canal bolsonarista no Youtube, Bolsonaro afirmou: "TCU ta certo. Eu errei quando falei em tabela, o certo é acórdão [...] A tabela quem fez fui eu, não o TCU", afirma.

Porém, Bolsonaro distorce informações ao dizer que "o certo é acordão". O presidente citou acórdão do TCU, do ano passado, segundo o qual definir a divisão das verbas federais repassadas a estados e municípios apenas com base na incidência da covid poderia gerar uma "supernotificação" de casos e mortes pelos entes.

"Utilizar a incidência de Covid-19 como critério para transferência de recursos, com base em dados declarados pelas Secretarias Estaduais de Saúde, pode incentivar a supernotificação do número de casos da doença, devendo, na medida do possível, serem confirmados os dados apresentados pelos entes subnacionais", diz trecho do acórdão.

O acordão, porém, se limita a alertar para os eventuais prejuízos desse critério para divisão das verbas federais. Porém, nesta terça, sem apresentar provas, Bolsonaro disse a apoiadores:

"Houve, sim, supernotificação para governadores conseguirem mais recursos", afirmando que a maquiagem nos dados da cofid também teria sido usada pelos governadores e prefeitos para justificar medidas como o lockdown.

O presidente da República disse ainda haver "indícios fortíssimos" da irregularidade, cintando como fonte "mensagens que circulam no WhatsApp". Bolsonaro disse que a Controladoria Geral da União (CGU) vai apurar as denúncias. "Agora, nós vamos para cima apurar os estados que fizeram supernotificação em busca de mais dinheiro", disse.

Fonte: CONGRESSO EM FOCO

https://congressoemfoco.uol.com.br/governo/desmentido-pelo-tcu-bolsonaro-diz-se-basear-em-mensagem-do-whatsapp/