O Ministério da Economia divulgou em meados do mês de maio, o Boletim Macrofiscal, que trata de projeções econômicas do País dos próximos meses. Segundo o documento, a inflação vai subir, o que consequentemente alterou a projeção do salário mínimo de 2022.

Os dados da previsão apontam, que o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), que mede a inflação do País, passou de 4,4% para 5,05%. Sendo assim, o piso nacional previsto pela LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) de R$ 1.147, pode ser alterado para R$ 1.155,55.

Salário mínimo em 2022
Atualmente, o governo federal usa o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) para fazer as correções do salário mínimo. Portanto, o aumento do piso nacional para o ano que vem não deve ter ganho real, pois as remunerações acompanham a inflação.

Desta forma, 2022 será o terceiro ano consecutivo em que o piso nacional não terá ganho real, ou seja, não será acima da inflação. Essa política foi estabelecida pelo atual presidente, Jair Bolsonaro, que interrompeu as operações de ganhos no salário mínimo após 2 décadas.

Levantamento realizado pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) mostra que mais de 50 milhões de brasileiros têm o salário mínimo como referência. Deste montante, 24 milhões recebem algum benefício do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

Mínimo necessário
O salário mínimo atual é R$ 1.100. Todavia, segundo o Dieese, o piso nacional necessário para a população arcar adequadamente com os custos mensais seria de R$ 5.403. O cálculo foi feito com base no custo das cestas básicas, que variam de R$ 454 a R$ 631 nas capitais.

O valor proposto pelo Dieese é 4,82 vezes superior ao valor vigente.

Fonte: DIAP

https://www.diap.org.br/index.php/noticias/noticias/90529-novo-minimo-para-2022-e-projetado-veja-qual-pode-ser-o-valor