NOVAS FORMULAÇÕES

Por 

O Ministério da Economia informou nesta quarta-feira (11/9) que o secretário da Receita Federal, Marcos Cintra, pediu exoneração. O auditor fiscal José de Assis Ferraz Neto assume interinamente o cargo.

Waldemir Barreto/Agência Senado
Cintra é histórico defensor do imposto único

Em nota, a pasta afirma ainda que não há um projeto de reforma tributária finalizado. "A equipe econômica trabalha na formulação de um novo regime tributário para corrigir distorções, simplificar normas, reduzir custos, aliviar a carga tributária sobre as famílias e desonerar a folha de pagamento", diz a nota. 

A proposta, segundo o ministério, somente será divulgada depois do aval do ministro Paulo Guedes (Economia) e do presidente Jair Bolsonaro. Cintra ocupava o cargo desde o início do governo.

Ex-deputado, o economista Marcos Cintra é um histórico defensor de um imposto único, na forma de um tributo sobre movimentações financeiras. A medida, porém, enfrenta resistência dentro do próprio governo e entre especialistas.

Internamente, o ministro Paulo Guedes tem demonstrado irritação com diversas versões de propostas de cobranças em transações financeiras divulgadas por integrantes do próprio governo.

 é correspondente da revista Consultor Jurídico em Brasília.

Revista Consultor Jurídico