O relator da reforma da Previdência, deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), e o líder do governo, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), concedem neste momento uma entrevista coletiva sobre as mudanças anunciadas ontem na proposta em análise na Câmara (PEC 287/16).

Oliveira Maia fez nova alteração no texto para beneficiar viúvo ou viúva de policial morto em ação, que passa a receber pensão integral e não mais um percentual do salário, como na versão anterior. A integralidade estará vinculada à entrada do policial no serviço público.

Essas regras não valem para policiais militares.

Questionado sobre a data da votação do texto, o líder do governo afirmou que a intenção é votar até o dia 28.

                            

Sem negociação

O relator disse que há apenas dois pontos inegociáveis no texto da reforma: que se adote uma idade mínima para a aposentadoria e que, ao final do período das regras de transição, trabalhadores do setor público e privado estejam submetidos às mesmas regras (com aposentadoria limitada ao teto do INSS).

                   

“Os outros pontos todos estarão abertos à negociação”, afirmou Arthur Oliveira Maia.

Veja como foi a entrevista no canal da Câmara dos Deputados no YouTube

                      

Fonte: Agência Câmara, 08 de fevereiro de 2018