No cenário estimulado, ex-presidente aparece com 29% das intenções de voto no primeiro turno e 42% no segundo

A decisão do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), que anulou condenações contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o tornou novamente elegível, mexeu com as intenções de votos do eleitorado brasileiro. Com apoio em alta, Lula aparece numericamente à frente do atual presidente Jair Bolsonaro na nova rodada da pesquisa XP/Ipespe, feita de 29 e 31 de março. O levantamento ouviu mil pessoas por telefone, em todo o Brasil.

A quase 18 meses das eleições presidenciais de 2022, o petista aparece com 21% no cenário espontâneo. Há 20 dias, ele tinha17%. Em janeiro, eram apenas 5%. Com isso, Lula se aproximou ainda mais do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que aparece com 24% ‒ oscilação negativa de 1 p.p. ante meados de março. Como a margem máxima de erro da pesquisa é de 3,2 pontos percentuais (para mais ou para menos), Bolsonaro e Lula estão tecnicamente empatados nesse cenário.

A terceira posição é ocupada pelo ex-ministro Ciro Gomes (PDT), com 3%. Na sequência, o ex-juiz federal Sergio Moro (sem partido); Guilherme Boulos (PSOL), líder do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST); e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), aparecem com 1% das intenções de voto cada.

No cenário estimulado de primeiro turno ‒ quando são apresentados ao eleitor possíveis nomes de candidatos –, houve uma reviravolta. Pela primeira vez desde setembro de 2019, Lula aparece numericamente à frente com 29% das intenções de voto, contra 28% de Bolsonaro. O petista saltou quatro pontos percentuais em 20 dias.

No segundo pelotão, aparecem Sergio Moro e Ciro Gomes, com apoio de 9% cada. O ex-juiz federal tem hoje metade das intenções de voto que tinha um ano atrás, quando deixou o cargo de ministro da Justiça e Segurança Pública do governo. Na sequência, vem o apresentador de TV Luciano Huck (sem partido), com 5%. Já Boulos, Doria e o ex-ministro Luiz Henrique Mandetta (DEM) têm, nesta simulação, 3% de intenções de voto cada um. Indecisos, votos em branco e nulos somam 12%.

Nas simulações de segundo turno, Bolsonaro empata com Moro (30% a 30%) e Ciro (38% a 38%), além de estar em vantagem numérica contra Huck (35% a 32%) e à frente de Doria (37% a 30%). Já Lula aparece numericamente à frente de Moro (41% a 36%) e Bolsonaro (42% a 38%), mas tecnicamente em empate.

Com informações do InfoMoney

Disponível em: https://vermelho.org.br/2021/04/05/lula-cresce-em-pesquisa-e-aparece-numericamente-a-frente-de-bolsonaro/