Brasil tem 117 mil mortes e 3,7 milhões de casos acumulados. Índice de contágio apresentou queda de 16% em relação à duas semanas atrás.

Ministro Mandetta anuncia o primeiro registro de contágio de coronavírus no Brasil em entrevista coletiva no dia 26 de fevereiro

O Brasil atingiu 117.666 mortes e 3.717.156 casos acumulados de Covid-19. Os dados foram divulgados hoje (26) pelo Ministério da Saúde durante entrevista online de apresentação do Boletim Epidemiológico semanal. Vice-líder mundial nos tristes números da pandemia, o Brasil completa hoje seis meses desde o primeiro contágio registrado no final de fevereiro.

Desde o primeiro contágio registrado, o país mostrou ao mundo o governo mais descoordenado em torno da gestão de uma crise sanitária. Menosprezando a gravidade da pandemia, desde este primeiro momento, o presidente Bolsonaro demitiu dois ministros da Saúde, colocando no lugar um interino militar sem experiência na área. O presidente atuou sistematicamente para desmobilizar a estratégia de isolamento social promovida por governos estaduais e prefeituras. Desestimulou o uso de máscara para conter a disseminação individual do vírus. Dificultou o acesso ao auxílio emergencial e ao crédito especial para pequenas empresas fechadas para garantir a quarentena. Estimulou manifestações nas ruas contra o isolamento social e invasão de UTIs de hospitais. Difundiu desinformação contra a doença, além de prescrever remédio contra o vírus que não tem qualquer comprovação científica. Em diversos momentos ainda se manifestou de forma fútil em relação às dezenas de milhares de famílias em luto pela vítimas da Covid-19. Com tudo isso, ficou difícil afirmar que Bolsonaro não tem responsabilidade sobre o fracasso da gestão da pandemia no Brasil.

Nas últimas 24 horas, foram registrados 1.086 novos óbitos. Ontem o sistema do Ministério da Saúde marcava 116.580. Ainda há 2.889 falecimentos em investigação pelas equipes das secretarias de saúde. A média diária de mortes continua alta, há três meses, em torno de mil óbitos a cada 24 horas. Este é um quadro que não se repetiu em nenhum outro país do mundo. A maioria apresentou queda forte da curva epidêmica depois de atingir um curto pico de casos.

 
O número de mortes diárias ainda não fechou uma semana epidemiológica com registro de queda significativa, acima de 15% se comparado com 14 dias atrás.

No entanto, há duas semanas, o número de contágios vem caindo, tendo registrado, hoje, a primeira queda fora da margem de estabilidade. Houve 16% menos contágios que 14 dias atrás. O balanço do ministério recebeu notificações de 47.161 novas pessoas infectadas pelo novo coronavírus. Ontem, o painel da pasta trazia 3.669.995 casos desde o início da pandemia no Brasil.

 
Gráfico de contágios mostra queda acima de 15% nos números, desde 14 dias atrás

Ainda de acordo com a atualização de hoje, 690.642 pessoas estão em acompanhamento e outras 2.908.848 já se recuperaram da doença.

Covid-19 nos estados

Os estados com mais mortes por covid-19 foram: São Paulo (29.194), Rio de Janeiro (15.700), Ceará (8.351), Pernambuco (7.460) e Pará (6.097). As Unidades da Federação com menos óbitos até o momento são Roraima (582), Acre (607), Tocantins (621), Amapá (647) e Mato Grosso do Sul (783).

O número de estados com queda significativa de mortes, hoje, é bem maior que aqueles que continuam subindo. São treze boas notícias contra apenas cinco que apresentam descontrole da pandemia. Apesar disso, estados populosos como Bahia e Rio de Janeiro apresentam agravamento da situação, sendo que o Rio apresenta uma nova onda de crescimento.

No total, 5 estados apresentaram alta de mortes: RJ, GO, AP, TO e BA. Por outro lado, estados muito populosos ainda têm altas taxas de contágio, estabilizados no pico, como São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul, por exemplo.

Em relação a terça (25), MT estava com a média de mortes em estabilidade e, hoje, apresenta queda.

  • Subindo: RJ, GO, AP, TO e BA.
  • Em estabilidade, ou seja, o número de mortes não caiu nem subiu significativamente: RS, MG, SP, DF, MS, PA, RO, PB e RN.
  • Em queda: PR, SC, ES, MT, AC, AM, RR, AL, CE, MA, PE, PI e SE.
 
Boletim epidemiológico covid-19
Boletim epidemiológico covid-19 – Ministério da Saúde

Vermelho