Imprimir PDF

Comum no ambiente familiar, violência contra idosos deve ser enfrentada pela sociedade

Servidores da Fundação de Ação Social (FAS) que trabalham no atendimento de pessoas idosas e representantes de órgãos de garantias de direitos, além de idosos atendidos pelos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) e outros equipamentos da Prefeitura de Curitiba, participaram nesta quarta-feira (15) de um evento em alusão ao Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa, celebrado dia 15 de junho. O evento debateu a violência contra a pessoa idosa, estratégias de enfrentamento e o fluxo de atendimento do idoso vítima de violência.


Um dos objetivos da data comemorativa é ampliar a discussão sobre um problema que, muitas vezes, ocorre dentro do núcleo familiar. A Rede de Atenção e Proteção à Pessoa Idosa em Situação de Risco recebeu, em 2015, 332 notificações de idosos que sofreram algum tipo de violência. Em 81% dos casos, a violência foi cometida por pessoas da família do idoso; em 169 dos casos, os filhos foram os autores dos atos, que podem ser tanto físicos, como psicológicos, patrimoniais ou sexuais.


A presidente da FAS, Marcia Oleskovicz Fruet, lembrou que, pela legislação – no Brasil, o Estatuto do Idoso garante os direitos da pessoa idosa –, a responsabilidade em primeiro lugar é da família, mas que toda sociedade precisa discutir a proteção dos idosos. “A expectativa de vida em todo o mundo tem aumentado, mas as famílias, muitas vezes, não estão preparadas para atender seus idosos e as necessidades que aparecem com a idade. Por isso, é preciso pensar na cidade e nos atendimentos para esta população”, disse.


Marcia Fruet citou alguns exemplos de serviços ofertados pela Prefeitura de Curitiba, que garantem espaços de convivência e inserção do idoso em atividades variadas. “Os CRAS ofertam serviços em domicílio para idosos que não podem ir até as unidades e isso tem gerado resultados incríveis, como o aumento da autonomia dessas pessoas. Os grupos de convivência também promovem o protagonismo da pessoa idosa, além de reforçar a garantia do direito em ter atividades pensadas para este público”, salientou.


Em Curitiba são mais de 130 grupos de idosos atendidos pelo Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, que, com o objetivo de reforçar os lados de pertencimento do idoso com a comunidade e seu protagonismo social, oferta atividades como artesanato, passeios e ações culturais e que se alternam conforme a demanda e interesse de cada grupo.


O secretário municipal da Saúde, César Monte Serrat Titton, o assessor de Direitos Humanos do Gabinete do Prefeito, Igo Martini; e a promotora da Justiça Rosana Beraldi Bevervanço também participaram do evento, que contou com o apoio do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa (CMDPI).



Como denunciar


Casos onde exista suspeitas de violência contra a pessoa idosa, assim como qualquer outro tipo de violação de direitos, podem ser denunciados pelo Disque 100 ou da Central 156 da Prefeitura de Curitiba.


Os casos são acompanhados tanto pelos Centros de Referência Especializados da Assistência Social (CREAS), unidades municipais, como pelo Ministério Público.





Fonte: Bem Paraná, 16 de junho de 2016.

FETRACONSPAR - Federação dos Trabalhadores nas Industrias da Construção e do Mobiliário do Estado do Paraná
Rua Francisco Torres, 427 - Centro - Cep. 80060-130 | Curitiba - Paraná | Brasil

Fone: (41) 3264-4211 | Fax: (41) 3264-4292 | Email: fetraconspar@fetraconspar.org.br